jump to navigation

Centenário da Umbanda em Curitiba setembro 23, 2008

Posted by raizculturablog in 1.
Tags: , ,
add a comment

Venha Pariticpar do evento que comemora o centenário da religião Umbanda.
Palestras,apresentações e festa para este importante marco na cultura brasileira!

Curitiba/PR
Local :Teatro Ópera de Arame
Horário :13 horas

Informações :Marco Boeing (044)8851-1200

Anúncios

Paraná é umbanda! setembro 23, 2008

Posted by raizculturablog in Cultura & Massas.
Tags: , , , , , , , , ,
5 comments
umbanda e preto velho

umbanda e preto velho

Se alguém disser que Curitiba se torna, a cada dia, uma das capitais da umbanda no Brasil, pode ser que não haja – necessariamente – exagero na afirmação. Basta conferir os dados do Conselho Mediúnico do Brasil, entidade que congrega os terreiros de candomblé e umbanda do Paraná. De acordo com levantamentos informais – realizados pela entidade –, hoje há 25 mil terreiros no estado. Em Curitiba e região metropolitana, seriam 15 mil, 7 mil deles na capital. “Excetuando os de candomblé, é possível encontrar cerca de 6 mil terreiros de umbanda em Curitiba”, afirma o diretor do Conselho Mediúnico do Brasil, Jayro Pereira Jesus.

Os números – mesmo sem validação científica – impressionam. São, por exemplo, imensamente superiores aos levantados há dois anos pela pesquisadora, hoje doutoranda em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Luciana de Morais. Ela e outros sete profissionais identificaram 83 terreiros de umbanda “oficiais” em Curitiba, e visitaram 58 deles. O trabalho se desdobrou no documentário Pra Ver a Umbanda Passar, com direção e roteiro assinados pelos cineastas Luciano Coelho e Marcelo Munhoz.

Tanto o integrante do Conselho Mediúnico do Brasil como a pesquisadora da UFPR apresentam explicações similares a respeito do crescimento da umbanda na capital. Primeiro, que em qualquer casa – uma meia-água, se for o caso – pode funcionar um terreiro. Depois, a umbanda atrai os curitibanos por ser uma espécie de consultório sentimental ( emocional), em que se buscam e, muitas vezes, se encontram respostas para problemas mais do que imediatos, como coração partido e bolso vazio. E, ainda, Luciana e Pereira de Jesus ressaltam outra informação que o crescimento do número de terreiros revela: a presença de negros – e da cultura afro-brasileira – na capital.

(mais…)