jump to navigation

Sabedoria do dia agosto 23, 2010

Posted by raizculturablog in Pensamentos do dia.
add a comment

“O que mais me preocupa

não é o grito dos violentos,

dos corruptos,

dos desonestos,

dos sem caráter,

dos sem ética.

O que mais me preocupa

é o silêncio dos bons.”

(Martin Luther King)

Oxalá nos ampare, guie, proteja e abençoe.

Alexandre Cumino .’.

alexandrecumino@uol.com.br

Anúncios

AGENDA DE CURSOS – TEMPLO DA LUZ AZU agosto 18, 2010

Posted by raizculturablog in Cultura & Massas.
4 comments

Cursos no Butantã – São Paulo – SP

Templo da Luz Azul

CURSO – DOUTRINA UMBANDISTA

MINISTRANTE: Pai Cláudio Vieira

DATA: 17/08/10 – 3ª. feira

HORARIO: 20h30

DURAÇÃO: 01 MÊS

CURSO – POMBAGIRA E EXU MIRIM

MINISTRANTE: Alexandre Cumino

DATA: 11/09/10 – Sábado

HORARIO: 14h00

CURSO – PORTAL DE LUZ DO MISTÉRIO VEGETAL

MINISTRANTE: Mãe Mônica Berezutchi

DATA: 12/09/10 – Domingo

HORARIO: 10h00

Templo da Luz Azul

Rua Pirajussara, 411 – Butantã/SP

Trav. Av. Vital Brasil – Em frente ao cartório do Butantã

Para participar dos cursos é necessário que seja feita a inscrição antecipadamente !!!

Retorne esse email com seu nome e fone para contato !!!!

Vagas Limitadas.

CENSO 2010: Retificando uma informação – O que está por detrás desta confusão? agosto 18, 2010

Posted by raizculturablog in Recados.
add a comment

Aranauan, Saravá meus irmãos planetários,

Na última sexta-feira escrevemos o texto “Questões polêmicas sobre o Censo 2010 – Vamos fazer militância!” que repercutiu bastante nos fóruns de internet. Ficamos felizes com o desdobramento, não pelo nosso texto em si, mas pela preocupação ter sensibilizado para uma discussão importante: Saber quantos somos!

Qual não foi a minha surpresa ao ler as palavras do Alex de Oxóssi – um dos funcionários do IBGE e umbandista – diferentes da que o próprio IBGE informa em seu FAQ (Frequently Asked Questions – Perguntas Frequentes). Ao irmão planetário Alex de Oxóssi agradeço as preciosas informações e desde já dispenso a necessidade de passar para o CONUB a sua matrícula. Sua palavra é suficiente para acreditarmos nas informações trazidas pelo email que estou anexando. Mais uma vez obrigado.

Pois bem, entrei em contato com o 0800 do IBGE para verificar qual informação o atendente prestaria: a que está no FAQ ou a que os funcionários recenseadores estão executando. O atendente da Central de Atendimento informou que o procedimento dito pelo Alex era o correto.

Sendo assim, gostaríamos de retificar o nosso posicionamento inicial. Só é possível responder o questionário ampliado (possuidor da questão culto/religião) quem for sorteado para respondê-la. Mesmo acessando a internet, não será possível respondê-la aquele que fora abordado pelo questionário simplificado.

Agora diante de tanta desinformação, de tantos encontros e desencontros, fica uma dúvida. Por que este processo de recenseamento envolvendo questões religiosas está tão complicado?

A FTU discute estes assuntos faz tempo, tendo como consequência direta os debates ensejados pelas palestras do prof. Reginaldo Prandi e do Prof. Marcelo Camurça durante o I Congresso de Umbanda do Século XXI no ano de 2008, onde vários dados do censo de 200 no aspecto culto/religião foram desdobrados.

Não somos adeptos de teorias conspiratórias, mas é muito estranho como a abordagem do fator religião em todos os censos que o contemplaram. Para este censo que já está no ar, pouco pode ser feito a não ser reclamar pelo email censo2010@ibge.gov.br. Mas cabe a todos nós, nos mobilizarmos para que o próximo seja realizado com critérios mais justos e, principalmente, transparentes.

Ps: Ao irmão Alex de Oxóssi, agradecemos o relato e voto de confiança no CONUB.
Aranauan, Saravá Fraternal,
Yabauara (João Luiz Carneiro)
Discípulo de Mestre Arhapiagha (Pai Rivas)

Entre a Caridade e a Cidadania Espiritual – Marchas e Contramarchas nos 84 anos de literatura umbandista agosto 18, 2010

Posted by raizculturablog in Pensamentos do dia.
add a comment

É com muita alegria que divulgamos uma importante notícia obtida pelo acompanhamento do twitter do Pai Rivas (https://twitter.com/rivasneto).
A FTU disponibilizou o link com o TCC na íntegra da teóloga Carol N. M. da Luz que carrega o título:

“Entre a Caridade e a Cidadania Espiritual – Marchas e Contramarchas nos 84 anos de literatura umbandista”.

Este trabalho acadêmico sobre a literatura umbandista ao longo da história é inédito. Foi produzido no ando de 2008 e submetido ao corpo docente da FTU em abril de 2009.

O mesmo pode ser encontrado neste link:

http://www.ftu.edu.br/Site/detalheProdAcademica.php?id_producao=68

Segue o resumo do TCC:

“Este trabalho de conclusão de curso teve por objetivo fazer um painel da literatura produzida desde 1925 até os dias de hoje.

Desconhecemos alguma publicação que tenha realizado esta tarefa, e em função do volume de obras e autores, optamos por fazer uma abordagem temático-histórica.
Esquematicamente dividimos essa literatura em 3 temas básicos que nomeei de “momentos” Etimológico, Doutrinário e Teológico.

Preferimos o termo “momento” por entendermos, em consonância com o Prof. Rivas Neto, que a Umbanda é uma “unidade aberta” e está em contínua construção. Os “temas” não estão conseqüentemente “fechados”, nem a história de suas concepções doutrinárias imposta por algum tipo de codificação, muito menos por uma teologia finalizada. Entendemos por “momento” este processo incessante de construção e reconstrução que podemos observar nos livros de diferentes autores em diferentes épocas. Em resumo, procuramos mostrar a trajetória do movimento Umbandista a partir de seus escritores indo de uma concepção caritativa da Umbanda – “manifestação do espírito para a caridade”, proposta pela primeira obra, até os dias atuais em que se propugna a idéia de que a Umbanda visa resgatar a cidadania espiritual.”

Boa leitura!!!

CENSO 2010: A culpa é nossa … Agora é lutar para o Censo de 2020. agosto 18, 2010

Posted by raizculturablog in Recados.
Tags: ,
1 comment so far

Olá a todos,
Estou repassando abaixo o e-mail de nosso irmão,

Tata Nkisi Etiene Sales (Pai Etiene Sales)

Sobre o Censo 2010,

Alexandre Cumino

P.S. A todos que reclamaram o Censo enviou uma resposta padrão,a mesma resposta para todos, inclusive para mim.

Estou acompanhando na Internet as reclamções de diversos setores religiosos, principalmente dentro das Umbandas, mas também nos Candomblés e Espiritismo, sobre a forma que o IBGE colocou o item religião para ser apurada.

Também estou recebendo telefonemas de pessoas dirigentes de Casas de Umbanda e Candomblé que estão reclamando, pois foram recenciados, mas não puderam declarar suas religiões.

Bem, desde 2002 venho alertando sobre isso na Internet, nas Listas, em Sites, mas não me deram ouvidos.  Falei várias e várias vezes que o IBGE apura o item religião por amostragem, ou seja, de cada 10 residências, 1 é questionada com o formulário completo que traz o item religião.  As outras 9 residências foram questionadas pelo formulário padrão que não traz o item religião.  E isso eu divulguei intensamente ao longo desses 8 anos.

Eu iniciei também as campanhas de “Umbandista, diga sim ao censo” que foi abraçada por alguns, e que acabaou gerando o “Quem é de Axé diz que é”, feita pelo pessoal dos Candomblés.  Outras pequenas campanhas para que os Umbandistas dissessem sim a Umbanda no censo de 2010 também foram feitas e, na minha opinião foi muito positivo, pois, pela primeira vez, os Umbandistas de várias correntes começaram a se unir por um objetivo comum, mostrando que, embora exista um grande diversidade e pluralidade nas Umbandas, temos muito em comum e podemos buscar objetivos em conjunto, sem que isso implique em codificaçõese coisas do gênero.

Ao longo desse tempo, também comentei que as pessoas enviassem mensagens ao site do IBGE, divulguei o email da predidência do IBGE, para que o item religião fosse colocado no formuário padrão e que esse levandamento da religião, não fosse feito por amostragem, mas sim por coleta normal, como é feito idade, sexo etc.

Isso não foi feito, não houve mobilização, não houve pressão, as pessoas não se interessaram.  Agora essas mesmas pessoas que não se interessaram se sentem ofendidas e discriminadas por não poder declarar no censo a sua religião.

De quem é a culpa, quem é o responsável pelo item religião não estar no formulário padrão?

A culpa é nossa.

Ainda nós falta coesão e senso de união.  Buscarmos objetivos em comum, que não seja um reclamar de como o outro toca a sua Umbanda ou, como já cansei de ler por ai, de impor uma codificação.

Espero que todos vejam isso como uma lição, um aprendizado e tomem , daqui por diante em diante, uma outra postura de união, de objetivos, pois isso é possivel. Quem sabe para o censo de 2020, se começarmos uma campanha Nacional a partir de agora, consigamos colocar o item religião no formulário padrão e que ele não seja mais feito por amostragem.

Erro nosso, culpa nossa, mas passível de aprendizagem e de uma nova iniciativa para o futuro:  com os erros do passado, aprendemos a construir um futuro melhor.

Enviem mais emails reclamando que não puderam declarar as suas religiões, mas peçam mudanças, pois só reclamar sem mostrar uma solução, não adianta.

Um abraço,

Tata Nkisi Etiene Sales (Pai Etiene Sales)